Associação de Policiais Militares e Bombeiros se destaca durante pandemia

Criada há 29 anos, ASPRA fortalece suas ações junto aos seus associados e também com trabalhos na sociedade civil

Nada mais em Brasília chama atenção quanto a crise provocada pela chegada da pandemia coronavírus. Pessoas estão adoecendo ou morrendo numa velocidade nunca vista antes. Até o fechamento desta reportagem, em 24 de junho, 37.254 pessoas haviam se infectado com o novo coronavírus e 449 perderam a vida vítimas da covid-19. Agora, numa média diária de quase vinte óbitos por dia. O que na prática traz desafios sem precedentes para toda a sociedade.

Mas a esperança de dias melhores é o que não pode faltar. E para que a pandemia seja superada, uma entidade em particular vem se destacando no Distrito Federal no combate ao novo coronavírus. Trata-se da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares do DF (ASPRA-DF). A entidade é comandada pelo experiente sargento reformado Manoel Sansão Alves Barbosa, de 60 anos. Destes, 37 de Polícia Militar do DF. Na prática, ASPRA atende tanto policias na ativa, quanto na reserva.

Sansão na Rádio Atividade, onde participa de programa comunitário
Sansão na Rádio Atividade, onde participa de programa comunitário
Foto que representa parceria da ASPRA com o CEMEOBES, exemplo de uma gestão voltada para bons serviços

Sansão, como é conhecido na Polícia Militar do DF, conta que o trabalho da ASPRA sempre teve bastante destaque em todo o Distrito Federal desde a sua criação, há 29 anos. Prova disso é a grande e confortável sede no Setor de Indústrias Gráficas de Taguatinga, com prédio de cinco andares e diversos serviços para os associados e familiares dos mesmos. Ações que vão desde disposição de serviços médicos e odontológicos até barbearia. Tudo subsidiado com pequena taxa dos participantes. No entanto, com a chegada da pandemia coronavírus, a situação passou a exigir mais da ASPRA, que agora se divide entre as ações para os policiais filiados e familiares, assim como iniciativas para a própria sociedade civil.

As ações ganharam reforço ainda por meio de uma parceria da ASPRA com o Centro Multidisciplinar de Estudos e Orientações sobre o Bullying Escolar (CEMEOBES). A parceria na verdade já havia sido iniciada antes da pandemia, mas se fortaleceu com o aumento de casos da covid-19. Sansão explica que com a parceria, foi possível aumentar o leque de serviços disponibilizados pela ASPRA, e com um grau de precisão muito maior, especialmente na área de atendimento psicológico ao grupo de associados e também para a sociedade civil. Assim, já foram realizados diversos atendimentos em escolas, ações de prevenção ao coronavírus de forma on-line ou presencial, por meio de entregas de máscaras, alimentos e atendimentos médicos.

Chama atenção ainda ações diversas, como limpeza de locais públicos frente ao coronavírus, atendimentos ao grupo de melhor idade, entre outras. Boa parte dessas ações sempre contam com o apoio do CEMEOBES como forma de fortalecer o trabalho.

Rivane e Sansão: trabalhos socias em parceria em todo o DF, incluindo o Guará

Para Rivane Lucena Melo, professora e conteudista voluntária do CEMEOBES, que ao lado de Sansão foi uma das responsáveis pela parceria entre as duas entidades, a ‘união’ do CEMEOBES e ASPRA trouxe para o Distrito Federal uma nova forma de atender, uma parceria onde ganharam as duas instituições e também a sociedade civil. Com mais de 60 cursos on-line, no sistema (EAD) a instituição atraiu quase quatro mil policiais para os mais diversos cursos, e ao mesmo tempo esses profissionais passaram a ter, sem custo acompanhamento psicológico, além de ações como a criação de um grupo de WhatsAPP apenas para que os policiais relatassem duas demandas, sempre acompanhados por psicólogos.

Limpeza de áreas públicas frente ao coronavírus

A parceria cresceu ainda mais quando as duas entidades passaram a fazer durante a pandemia, diversas ações sociais em conjunto, seja entregando materiais de proteção individual, como máscaras, álcool em gel e iniciativas de prevenção ao coronavírus em várias cidades do DF. Nesse caso, todos os envolvidos, especialmente os policiais reformados trabalham de forma voluntária.

Sansão, presidente da ASPRA explica que as ações são as mais variadas, que incluem locomoções de pessoas com dificuldade para fazer testes da covid-19, especialmente em cidades carentes, como na Estrutural; distribuição de alimentos para comunidades com dificuldades financeiras, além de apoio à educação em dias de aulas remotas.

A sede da ASPRA em Taguatinga tem cinco andares com várias serviços para associados

O trabalho atinge várias cidades do DF, uma delas, o Guará.  Rivane Lucena do CEMEOBES destaca a atuação de Sansão, Dr. Augusto Pedra, do bombeiro militar Tibério, dos PMs Josimar e Élcio. Eles são coordenadores de projetos anticovid no Guará. Todos atuam de forma voluntária.

Entidade mantém 12 apartamentos em Caldas Novas para o bem-estar dos associados. Com pandemia, serviços estão suspensos, mas volta assim que tudo normalizar

Ações pela qualidade de vida dos policiais militares e bombeiros

Sansão explica que as ações da ASPRA são voltadas para o bem-estar dos policiais associados. Por isso, ações de lazer também fazem parte do trabalho, como apartamentos em Caldas Novas-GO para a recreação e outras atividades. “Somos uma entidade multifuncional, voltada para os policiais, mas com atendimento também à sociedade, especialmente em tempos de crise social”, conclui.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *